A Mais de 40 anos
cuidando do seu
maior bem

slide-item-01

Medicina escolar

slide-item-02

Assistência à
Creche

slide-item-03

Escola que tem URMES
está sempre passando bem

slide-item-04
DICAS URMES - MEDICINA E SEGURANÇA

MORDIDAS

É através da boca que o bebê estará entrando em contato com o mundo que o cerca. A forma, textura, tamanho, peso dos objetos estará sendo experimentado e apreendido pela boca. A boca é um dos meios mais importantes para criança contactar o mundo.

Quando surgem os dentes, começam as mordidas, e daí novas descobertas como: diferenças entre duro e mole ou também, como é interessante perceber o susto ou o choro da criança que foi mordida.

Percebemos, geralmente que, adultos têm o hábito de brincar e expressar carinho com bebês e crianças pequenas "mordiscando-as" de brincadeira.

Esta atitude gera "modelos de imitação" que provavelmente serão utilizados na brincadeira com outras crianças. Brincar com a criança "pela boca", não é algo a ser condenado completamente, ao contrário, sendo respeitados os limites e sensações da criança, este comportamento pode ser uma fonte de troca de carinho e afeto. É importante porém mostrar a criança que ela pode provocar dor e machucar outras crianças.

Na creche, a mordida pode relacionar-se com a organização do espaço ou rotina da mesma. Organizar atividades em pequenos espaços e com muitas crianças, oferecer brinquedos diversificados porém em pouca quantidade, assim como, organizar uma rotina que não respeita as necessidades de sono do grupo, causando irritação nas crianças; podem ser bons motivos para várias mordidas.

Porém, independente do que causa a mordida, é preciso que educadores, pais, adultos em geral, não rotulem a criança como um "mordedor". É rotulando a criança e esperando que ela tenha sempre uma mesma reação, que ela irá corresponder ao que lhe é esperado, ou seja: morder.

A criança tem habilidade de perceber as expectativas mais sutis. Tal expectativa pode aumentar a ansiedade da criança, fazendo com que ela continue mordendo, reforçando a idéia de que ela é uma "mordedora".

Quando ocorre a mordida, o melhor a fazer é conversar com a criança sobre o fato com tranqüilidade, mesmo que a criança ainda não fale direito, ela entende o "clima" da conversa. É importante que fique claro, que ela pode causar dor no outro. É interessante também, ajudar a criança a encontrar outras formas de se comunicar, através da fala e de gestos.

É preciso que se entenda que esta fase faz parte do desenvolvimento normal da infância. Crianças entre 1 e 3 anos de idade, em algum momento, utilizaram este comportamento que tende, no entanto, a desaparecer conforme ela vai crescendo e desenvolvendo outra forma de comunicação e interação com o mundo: a linguagem.

Atuall Digital